22.3.08

Salve, salve, torrão Andreense, gigantesco viveiro industrial!

Hoje vou escrever sobre a cidade em que nasci e vivo até hoje, Santo André. Por que? Oras, primeiro, pela total falta do que falar, segundo, fiquei com inveja da Mila. Então vamos lá.

Santo André é uma cidade que começou errada. Comemora a data de aniversário no dia da fundação da Vila de Santo André da Borda do Campo, que existiu realmente por aqui, na região, mas nenhum historiador sabe dizer exatamente onde foi. O povoado foi fundado pelo misterioso João Ramalho, português provavelmente degredado, e em 8 de abril de 1553, foi elevado a categoria de Vila pelo então governador-geral Tomé de Souza. Tá, tá. Só tem um probleminha aí: essa vila foi extinta em 1560, quando a sua população foi transferida para a Vila de São Paulo, devido aos estressados vizinhos Tamoios. Aí, em 1889 é criada a cidade de São Bernardo do Campo, que incluía toda a região hoje conhecida como Grande ABC, e só em 1910 é que resurge a cidade de Santo André, primeiramente como um bairro de São Bernardo, o bairro da Estação, por onde passava a linha de ferro da São Paulo Railway. Viva Dom Pedro II e o Barão de Mauá. Bom, adivinhem quando se comemora o aniversário da cidade? Sim, dia 8 de abril, esse ano comemoraremos 455 anos. Ainda no campo histórico, existe uma verdadeira 'corrida ao ouro' entre os historiadores daqui, todos em busca de qualquer vestígio da antiga vila. Um deles afirma que nem foi em Santo André mesmo. Enfim, uma cidade que comemora o dia de aniversário na data errada, não deve ser séria mesmo.

Saindo do campo histórico e teórico, vamos à prática. De Santo André até o centro de São Paulo, levamos em média 30 minutos de carro. É relativamente perto, mas tente pegar uma balada na Vila Madalena ou em Pinheiros sem carro. Você não chegará nunca. Não temos um sistema de transporte dos melhores nem dentro da cidade, muito menos para fora dela. Dependendo do percurso, é possível que você tenha que pegar três conduções para ir de um ponto a outro dentro da cidade.

A cidade é grande, mas com ares de interior. Tem a Rua Figueiras, onde todos se encontram pra balada em algum dos milhares de bares todos iguais. Sexta-feira, depois das 23h, não tem onde comer. Sábado, após a 1h da manhã, não se entra mais em bar nenhum, estão todos 'fechando'. Domingo não há o que fazer. Temos três shoppings, e é esse o grande programa da família andreense. Sim, temos alguns parques públicos também, bem agradáveis por sinal. Tem um que é aberto 24h, o atual Pq. Prefeito Celso Daniel. É, tem essa ainda, temos um prefeito assassinado. Lembram? A cidade parou naquela ocasião. Ah, junto com São Bernardo, somos o reduto do sindicalismo, o berço do PT. Isso sem citar ainda o movimento anarquista que houve por aqui também, do qual até Adoniram Barbosa teve pequena participação, antes de virar o cara do Samba do Arnesto.

Ah, claro. Ainda temos uma cidade histórica, Paranapiacaba, que foi contruída pelos ingleses na ocasião da construção da linha de ferro, a São Paulo Railway. Mas essa rende outro post bem grande, hoje fiquem apenas com as fotos. Apenas saibam que pra chegar nela, passamos por outras três cidades! Mas é um programão ir pra lá, vale a pena.

Acho que, em linhas gerais, consegui falar bem daqui. Nasci aqui, vivo aqui, e não sei se um dia saio daqui. Apesar de tudo, gosto daqui. Mas que a cidade é estranha, isso é. Ainda em tempo, se quiser ver na Desciclopédia, tem um panorama mais ou menos verídico daqui.

4 comentários:

F. S. Júnior disse...

o lance do tédio das baladas se parece com Brasília, aqui, sábado, tudo fecha à 1h da manhã, daí não tem muito o que fazer... =D

Edu Guimarães disse...

Eu Amo Santo André!
Sério, mesmo com suas limitações e com as coisas que eu detesto na cidade.

Lendo isso hj, que estou longe devido ao feriado, só aumentou minha nostalgia.

Beijão Professora!

Mike disse...

Bel...
De certa forma me surpreendeu uma professora de história revolucionária... geralmente os professores de história são clássicos em demasia e excessivamente rebuscados. rsrsrssrs
Eles adorariam dizer que a cidade tem 450 anos, por causa da riqueza histórica. Daí chega a Bel na sala de aula e afirma: "Olha aqui, isso tudo é uma mentira..."
hehehehe
Brincadeirinha
Agora falando sério, muito interessante o retrato que vc elaborou de Sto André... ainda que a cidade não pareça tão desafiadora, é instigante perceber o lance de "meu território" que vc deixa fluir na construção do texto.
Grande abraço e boa páscoa!

Mila disse...

Jura que Paranapiacaba (como é difícil escrever esse nome!) fica em Santo André?!
Quando eu fui fazer trilha em Paran... no ano retrasado, me lembro de ter sido uma loooonga viagem de trem, mas não lembro de alguém ter me dito "estamos em Santo André!".
Vai ver é porque eu tava meio bêbada naquele dia... Enfim, essa eu não sabia mesmo.
Até um tempo atrás, na minha cabeça (doente), Santo André era um bairro de SP. hahaha
Olha como eu sou boa em geografia!
Mas, agora que você explicou mais sobre a cidade, fiquei curiosa.
Próxima vez que alguém for me arrastar para fazer trilha em Paran..., eu presto mais atenção quando chegar aí. rs

Desciclopedia é tudo na vida de uma pessoa (desocupada) com sede de conhecimento(?).
rsrs