9.1.10

Pequenos prazeres bobos

Agora é 1h30m da manhã. Quem acompanha o blog sabe que moro na casa dos meus pais. Agora estão todos dormindo e é a hora em que posso me permitir meus pequenos prazeres, e são coisas tão ridículas que precisavam mesmo de um post.

Andar descalça pela casa, já tenho quase 30 anos, sei que vou sujar o pé e sei que não vou ficar doente coisa nenhma, isso era só pra não sujarmos os pés.

Aproveitar e deitar no sofá da sala, de camisola, sem me preocupar se tem algo aparecendo. Melhor ainda de camisola e sem calcinha.

Respirar o ar puro de quando meu pai não está por perto, o homem é uma chaminé.

Ouvir o silêncio de quando minha mãe não está por perto pedindo/reclamando/pergundando sobre as coisas mais variadas.

Fazer xixi com a porta do banheiro aberta (sonho em ter uma casa pra fazer isso todo dia, será algum fetiche doentio? Não gosto que me vejam, só não gosto das portas fechadas).

Ligar a TV em qualquer canal, pode ser aquele de leilão de jóias, ou de vendas de eletrodomésticos, só pra olhar o colorido, sem ninguém reclamar.

Sentar-me a mesa da cozinha, com o micro, digitar um texto, sem ninguém fumando, falando, gritando, brigando, só o som dessas teclas e do meu irmão afinando o violão no quarto fora de casa.

Será que isso tudo é tão absurdo? Preciso sair de casa.

3 comentários:

Lizandra disse...

Aos 30 anos saí da minha. Eu também me sentia assim, sem espaço. Não que meus pais sejam chatos, mas por mais que eles sejam legais, o espaço vai ficando tão pequeno, tão apertado...

Mila disse...

Esse foi um post super Amélie Poulain, com seus pequenos prazeres. Adorei!
E também adoro essa solidão da madrugada, ver um canal qualquer só para ter uma luz e um barulhinho na sala...
Agora, uma coisa que não consigo fazer, mesmo agora morando sozinha: xixi de porta aberta. rs
Banho eu até tomo, mas xixi de porta aberta, muito raramente. Vai entender...
E arrisque, Bel! Assim que possível, tente sair da casa dos pais. É uma coisa tão boa, que nada se compara.
Minha primeira experiência fora de casa durou poucos meses e tive que voltar atrás. Mas agora, não vejo nada que possa me fazer voltar a lutar por um espacinho na casa cheia de gente.
Eu recomendo!
Beijos

disse...

Ah os pequenos prazeres... Amélie é que sabe das coisas...