10.4.09

Manual de sobrevivência em shows grandes

Esse manual pode servir pra shows pequenos, fechados também. Mas é bem mais aplicável para shows grandes, em áreas abertas mesmo.

01. Tênis é básico e necessário. Não sei porque raios alguém acha normal ir a um show de salto, por exemplo. Acredite, você vai ficar no mínimo, chutando baixo, duas horas e meia em pé. Em pém mesmo, sem encostar. Por isso, tênis. Quanto mais velho e fofinho melhor.

02. Se é da turma da cerveja vá cedo, tome todas do lado de fora. Aí a vantagem é dupla: você toma várias por um preço bem mais razoável do que as que vendem lá dentro (normalmente R$ 5 uma latinha miserável, em copo de plástico), e ainda entra a tempo de poder utilizar o banheiro químico. Logo que abrem os portões, acredite, tem até papel higiênico lá dentro.

03. Chegue cedo mesmo sem ser da turma da cerveja. Ultimamente a entrada pra qualquer show tem sido complicada devido ao trânsito e à falta de organização do pessoal. Teve show por aí que atrasou mais de uma hora pelo simples fato de ter milhares de pessoas do lado de fora, entre elas, eu. Desde então, calculo a hora pra chegar no lugar pela hora de abertua dos portões. E entrar nem tem sido o problema principal... (vide ítem 10)

04. Se não tem altura, fique longe. Pouca distância não é garantia de visão. Se tem por volta de um metro e meio, como a que vos escreve, fique longe que verá tudinho e não terá ninguém se esfregando em você. A não ser que seja essa a inteção.

05. Não marque de encontrar niguém no show, nem tente encontrar alguém. Não vai conseguir.

06. Esqueça a fome. Qualquer coisa miserável custa os olhos da cara e não há fome que não dê pra aguentar até a volta. No caminho sempre tem um santo habbibs.

07. Não sabe a letra não cante, escute apenas, por favor.

08. Show não é lugar de pegação. Ninguém aguenta nego chato no ouvido quando se está pagando muito pra ver um show.

09. Maquiagem, perfume, chapinha, laquê, baby liss... nada disso resiste até o final do show. Quando ele acaba, estamos todos com cara de farrapos humanos, mas muito felizes, claro.

10. Pegue o set list do show anterior. Quando começar a última música, vá para perto da saída. Em São Paulo virou moda uma palhaçada de não ter saída pra todo o público, aí vira uma muvuca imensa, ninguém sai, ninguém anda e todo mundo se aperta. Um inferno.

4 comentários:

Kah disse...

Este post é muito válido! Alias, adorei todo o conteudo do blog, parabens!
=)

Edu Guimarães disse...

Apêndice:

* vá estudar jornalismo, relações públicas, ou outro curso que te dê a possibilidade de um trampo em site/jornal/revista e consiga uma credencial.

* arrume um(a) namorado(a) que consiga credencial :-p

* não seja imbecil e não fique gritando 'olê olê olê', principalmente quando o nome da banda/artista não permite essa rima ridícula.

Edu Guimarães disse...

Apêndice:

* vá estudar jornalismo, relações públicas, ou outro curso que te dê a possibilidade de um trampo em site/jornal/revista e consiga uma credencial.

* arrume um(a) namorado(a) que consiga credencial :-p

* não seja imbecil e não fique gritando 'olê olê olê', principalmente quando o nome da banda/artista não permite essa rima ridícula.

julio de castro disse...

anotadíssimo.